Por que investir em tecnologia no PDV?

Em Digital, Mercado, PDV, Tecnologia

Os tempos mudaram. Aliás, aceleraram.  

Em 24h, fazemos o dobro ou o triplo de coisas que fazíamos nos anos 90. Dizem que atualmente uma pessoa  consome mais informações num dia do que um sujeito consumia na sua vida toda nos anos 30/40, por exemplo.

A tecnologia chegou, evoluiu e mudou a dinâmica de mundo que conhecemos. 

Inclusive a dos negócios. 

Queremos comodidade e agilidade. Desejamos chegar em uma loja, achar rapidamente o que procuramos, suas informações e assim termos uma experiência gratificante com a marca e o PDV. E tudo isso sem precisar conversar com ninguém. 

Queremos fazer mais em menos tempo. E o investimento em tecnologia é a direção certa para atingir este objetivo.

Os números não mentem. Pesquisas recentes mostram dados interessantes que corroboram com as afirmações acima:

_ 70% dos consumidores têm melhor experiência de compra em lojas nas quais usam as últimas soluções tecnológicas para ajudá-los a decidir. Fonte: Delloite`s Holiday Shopper Survey 15

_ 26% usam tecnologia para ajudar na busca de determinado produto dentro da loja. Fonte: Delloite`s Holiday Shopper Survey 15

_ 63% das pessoas afirmam que telas de digital signage atraem sua atenção. As pessoas que consomem mídia digital preferem comprar em estabelecimentos com telas digitais. Fonte: Rich Media Technologies 15

Proporcionar interatividade para os clientes é premissa de sucesso. É a saída para se diferenciar de quem ainda não entendeu essa nova conjuntura. É a única passagem de ida para o futuro. Sem volta.

Mas por que investir nesse caminho?

Além de proporcionar uma nova e agradável experiência aos consumidores, naturalmente aumentar o ticket médio e ainda aumentar o share trazendo o público da concorrência para a nova realidade de consumo, o uso de diversas tecnologias gera retenção de dados dessas pessoas. 

Com alguns softwares e hardwares instalados em uma loja conseguimos, por exemplo, traçar o perfil do público captando informações como: gênero, idade aproximada e padrão de comportamento. 

Com medidas simples, como disponibilizar uma conexão wifi, é possível capturar dados interessantíssimos para elaboração de estratégias de marketing e promoções. Dá pra saber, por exemplo, quantas vezes determinada pessoa vai a loja e quanto tempo permanece por lá.

Com sensores GPS ou beacons, é possível enviar ofertas segmentadas para cada visitante, através de um perfil previamente traçado por experiências anteriores. 

Através de diferentes tecnologias absorvemos, guardamos, estudamos e usamos essas informações em estratégias certeiras de comunicação.

Temos aí uma via de mão dupla, onde cliente e empresa saem ganhando nessa troca de experiência por informações.